Narrativa da Criação, dos Hebreus

 

criacao.jpg (2806 bytes)

(Genesis 1-3)

flurline.gif (2300 bytes)

 

As mitologias de todos os povos são confeccionadas para responder questões como "Quem somos nós enquanto povo?" "Como ocorreu a nossa origem?" e "Porque morremos?". Criada pelos Judeus e adotada pelos Cristãos as seguintes estórias da criação teve uma longa e complexa história que dificilmente poderia ser explorada em um espaço tão curto de uma página, quiçá de um livro.

Aproximadamente a um século e meio atrás estudiosos perceberam pela primeira vez que o Genesis parecia conter duas estórias distintas da criação, usando dois nomes para o criador (traduzidas aqui como "Deus" e "o Senhor"), com duas diferentes ênfases (física vs. questões morais), e até com uma ordem diferente de criação ( plantas antes dos humanos, plantas depois dos humanos). Estudiosos cujas crenças não exigiam dêles acreditar na oputra forma concordam que a grandiosa mas severa abertura poética da Genesis foi o produto de um período bem mais tarde do que a estória que tradicionalmente é chamado de "a Queda."

A primeira narativa afirma temas típicos de um Judaísmo maduro: o criado é o único governante do universo, e até no processo da criação êle forneceu a fundação para o sabbath Judeu. Apesar dela rejeitar o politeísmo das estórias da criação da Mesopotâmia como a Enuma Elish, ela compartilha certas características com estas: a terra emergindo de um caos original de água e águas acima e abaixo da terra.E apesar de Deus não dividir a criação com uma deusa como Tiamat, outras passagens na Bíblia dos Hebreus sugere que a metáfora da matança de uma serpente-marinha primordial chamada Leviathan segredava no pensamento Hebreu sobre a criação, ser a ligação de algumas passagens com a miraculosa divisão das águas que proporcionou aos cativos fugirem do Egito.Veja como isto está profundamente enraizado no uso da língua: a fala chama o mundo à existência, a fala o abençôa. O conmceito da palavra divina de Deus veio a ser um conceito central do Judaísmo, mais tarde adotado pelo Cristianismo e pelo Islamismo.

Porque você acha que as plantas eram tão importantes que são retratadas como tendo sido criadas antes que o sol? Que tipo de planta a narrativa particularmente focaliza?

A Criação

No iníco quando Deus criou o céu e a terra, a terra era um vazio sem forma e a escuridão cobria a face das profundezas, quando um vento (produzido) por Deus varreu a face  das águas(1). E Deus disse: "Que haja a luz;" e a luz surgiu. E Deus viu que a luz era boa; e Deus separou a luz da escuridão. Deus chamou o claro Dia, e a escuridão Noite. E houve a noite e a manhã, o primeiro dia.

E Deus disse: " Que haja uma cúpula no meio das águas, e deixe-a separar as águas das águas. e Deus fêz a cúpula e separou as águas que estavam abaixo da cúpula das águas que estavam acima da cúpula. (2) E assim aconteceu. Deus chamou a cúpula Céu. E houve a noite e a manhã, o segundo dia.

E Deus disse, "Que as águas abaixo do Céu se juntem em um lugar, e deixe a terra seca aparecer." E assim aconteceu. Deus chamou a tera seca de Terra, e as águas que se juntaram Êle chamou de Mar. E Deus viu que isto era bom. E Deus disse: Que a terra crie vegetação: plantas, árvores frutíferas de todos os tipos na terra que possuam frutos com semente dentro." A terra trouxe a vegetação: plantas de todos os tipos, e árvores de todos os tipo que possuíam frutos com sementes dentro. E Deus viu que isso era bom. E houve a noite e a manhã, o terceiro dia.

E Deus disse: "Que haja luzes na cúpula do Céu para separar o dia da noite; e que ela sejam para os sígnos e para as estações e para os dias e anos, (3) e que haja luzes na cúpula do Céu para clarear a terra." E assim aconteceu. Deus criou duas grandes luzes - a luz maior para governar o dia e a luz menor para governar a noite - e as estrêlas. Deus colocou-os na cúpula do Céu para dar luz à terra, para governar o dia e a nopite, e para separar a luz do escuro.  E Deus viu que isso era bom. E houve a noite e a manhã, o quarto dia.

E Deus disse: "Que as águas criem bandos de criaturas vivas e pássaros vôem acima da terra através da cúpula do Céu." Assim Deus criou grandes monstros marinhos e tudo quanto é criatura viva que se movia, de todos os tipos, e com eles o bando das águas, e todos os pássaros de todos os tipos. E assim aconteceu. E Deus viu que isso era bom. Deus os abençoou dizendo: " Sejam férteis e multiplicai-vos e encham as águas dos mares, e os pássaos se multipliquem na terra." E houve a noite e a manhã, o quinto dia.

E Deus disse: "Que nasça na terra criaturas de todoos os tipos: gado e criaturas rastejantes e animais selvagens da terra de todos os tipos." E assim aconteceu. Deus criou os animais selvagens da terra de todos os tipos, e o gado de todo tipo, e tudo que, rastejava no chão de todo tipo. E Deus viu que isso era bom. Aí Deus disse: "Que façamos o homem a nossa imagem, (4) de acordo com nossa semelhança; e deixei os ter domínio sobre o peixe do mar, e sobre os pássaros do ar e sobre o gado, e sobre os animais selvagens, e sobre tudo que rasteja na terra."

Assim Deus criou o homem à sua imagem, na imagem de Deus o homem os criou; macho e fêmea ele os criou (5) Deus os abençoou, e Deus disse para eles: "Sejam férteis e multiplicai-vos, preencham a terra e a subjulgue, tenham domínio sobre os peixes do mar e sobre os pássaros do ar e sobre tudo quanto é coisa viva que se move na face da terra" Deus disse: "Vejam, Eu vos dei todas as plantas que está na face da terra, e toda árvore com sementes em seu fruto; voçês devem tê-los para alimento. E para toda a besta da terra, e todo pássaro no ar, e tudo que rasteja na terra, tudo que tem o sôpro da vida, Eu dou  toda planta verde como alimento." (6) . E assim aconteceu. Deus viu tudo quer Ele havia criado, e de fato, isso era muito bom.  E houve a noite e a manhã, o sexto dia.

Assim o Céu e a Terra estavam terminados, e todas as suas multitudes. E noi sétimo dia Deus terminou o trabalho que Ele havia feito, e descansou no sétimo dia de todo o trabalho que havia feito. Assim Deus abençoou o sétimo dia e o consagrou, porque nele Desu descansou de todo o trabalho que havia feito na criação. Estas são as gerações dos céus e da terra quando eles foram criados. 

flurline.gif (2300 bytes)

Criação e Queda

A primeira estória da criação respponde a pergunta "De onde nós viemos?"; a segunda focaliza outras questões, tais como "Porque nós temos que morrer?" e "Porque as mulheres são subordinadas aos homens?". 

Que evidência você pode acha para appoiar a teoria da subordinação das mulheres aos homens é o resultado de um curso hereditário? A árvore do conhecimento do bem e do mal é freqüentemente confundida com a árvore da vida; você pode distuigüir entre as suas aparentes funções? De que maneira o fim da estória é similar ao tema do épico de Gilgamesh?
No dia em que o Senhor Deus (7) criou a terra e os céus, quando não havia planta no campo e nenhuma erva do campo tinha ainda surgido - pois o Senho Deus ainda não tinha razões para fazer chover na terra, e não havia ninguém para arar a terra; mas um filete de água brotara da terra, e molhou todo o solo - aí o Senhor Deus criou o homem a partir do barro do chão, e soprou em suas narinas o sôpro da vida, e o homem se tornou um sêr vivo. E o Senhor Deus plantou um jardim no Éden, no leste; e lá Ele colocou o homem que Ele havia criado. E do solo, o Senhor Deus fêz crescer todas as plantas que são agradáveis ao olhar e boas para comer, a árvore da vida também Ele colocou no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal. Um rio que corta o Éden para aguar o jardim, e de lá ele se divide   em quatro braços. O nome do primeiro é Pishon; é aquele que flui em volta de toda a terra de Havilah, onde há ouro; e o ouro daquela terra é bom; as pedras de bediênio e onix estão lá. O nome do segundo rio é Gihon; é aquele que corre em volta de toda a terra de Cush. O nome do terceiro rio é Tigris, que flui no leste da Assíria. E o quarto rio é o Euphrates. (8)
O Senhor Deus pegou o homem e o colocou no jardim do Éden para arar a terra e cuidar dela. E o Senhor Deus ordenou, - " Você está livre para comer de toda árvore do jardim, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não deverás comer, pois no dia que você comer dela você morrerá." (9)
E o Senhor Deus disse: "Não é bom um homem estar sozinho; Eu lhe farei uma ajudante como companheira." E do solo o Senhor Deus formoutodos os animais do campo e todos os pássaros do ar, e os trouxe para o homem para ver como ele os chamaria; e do que o homem  chamou cada criatura viva, aquele foi o seu nome.  O homem deu nomes a cada gado, e aos pássaros do ar e cada animal do campo; mas para o home não foi encontrada a sua ajudante como companheira. Então o Senhor Deus fêz o homem cair em sono profundo, e ele dormiu; então Ele tirou uma de suas costelas e fechou o lugar. E da costela que o Senhor Deus havia tirado do homem Ele fêz uma mulher e a trouxe para o homem. E o homem disse:

"Esta é finalmente osso de meus ossos, e carne de minha carne; isto deverá chamar Mulher, pois do Homem esta foi tirada."

Assim o homem deixa seu pai e sua mãe e se liga à sua esposa, e eles se tornam um (10) . E o homem e sua esposa estavam ambos nus, e eles não estavam envergonhados (11).

Agora  a serpente (12) foi mais astuta do que qualquer outro animal selvagem que o Senhor Deus criou. E ela disse para a mulher: "Você não pode comer de toda a árvore no jardim?".A mulher disse à serpente: "Nós podemos comer os frutos das árvores no jardim; mas Deus disse: "Não deveis comer o fruto da árvore que está no meio do do jardim, nem, podeis tocá-lo, senão morrerão." Mas a serpente disse à mulher: "Você não morrerá; pois Deus sabe que quando você comê-lo seus olhos se abrirão, e você será como Deus, conhecendo o bem e o mal." (13) Então quando a mulher viu que a árvore era boa para se comer, e que era boa para se olhar, e que a árvore fooi desejada para tornar as pessoa sábias, ela pegou o seu fruto e comeu; e ela também deu um pedaço para seu marido, que estava com ela, e ele comeu. (14) Então os olhos de ambos se abriram, e eles notaram que estavam nus; e eles costuraram umas folhas de figueira e fizeram roupas para eles.

Eles  escutaram o som do Senhor Deus caminhando no jardim na hora da brisa da noite, e o homem e sua esposa se esconderam da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim. Mas o Senhor Deus chamou pelo homem, e disse a ele: "Onde está você?"O homem respondeu:"Eu escutei o som do Senhor no jardim, e fiquei com mêdo, porque eu estava nú; e me escondí." Ele disse:"Quem lhe disse que você estava nú? Você comeu   da árvore que Eu ordenei que não comesse?" O homem disse: " A mulher que o Senhor me deu para estar comigo, ela me deu o fruto da árvore e eu comi." Então o Senho Deus disse à mulher: "O que foi que você fêz?" e a mulher disse: "A serpente me enganou, e eu comi. "

O Senhor Deus disse à serpente: "Porque você fêz isto, amaldiçoada estás entre todos os animais e entre todas as criaturas selvagens; sobre sua bbarriga andarás, e pó comerás por todos os dias de sua vida. (15) Eu colocarei inimizade entre voce e sua mulher, e entre o seu rebento e o da mulher, o homem esmagará sua cabeça e você atacará seu calcanhar." (16)

À mulher Ele disse: "Eu aumentarei enormente sua agonia na gestação, na dor do parto, e ainda que seu desejo seja para o seu marido, ele deverá comandar você."

Ao homem Ele disse: "Por você ter escutado a voz de sua esposa e comido da árvore da qual Eu havia ordenado a você 'Não deveis comer dela' , amaldiçoado está o solo por sua causa; do seu trabalho deverá tirar o que comer todos os dias de sua vida; espinhos e pássaros serão trazidos a você; e você deverá comer das plantas do campo. Pelo suor de sua face deverás comer o pão até que retornes ao chão, de onde fostes tirado; tu és pó, e ao pó voltarás."

O homem de o nome de Eva à sua mulher, ppois ela era a mãe de tudo que vivia. E o Senhor Deus fêz roupas de peles para o homem e sua mulher, e os vestiu.

O Senhor Deus disse:"Vês, o homem se tronou um de nós, conhecendo o bem e o mal, e agora ele deverá também querer alcançar e comer da árvore da vida, e viver para sempre"- portanto o Senhor Deuso expulsou do jardim, para arar o chão de onde havia sido tirado. Ele retirou o homem; e no leste do jardim do Éden Ele colocou um querubim, e uma espada flamejante para guardar o caminho da árvore da vida.  

flurline.gif (2300 bytes)

(1) Muitos tradutores modernos vêem estas águas como sendo as mesmas do caos primordial aguacento de outros mitos da criação do Oriente Médio; mas os tradicionalistas normalmene asseguram que a água foi criada a partir do "vazio e da escuridão," uma crença conhecida pelo nome Latino de criação ex nihilo (do nada).

(2) A Chuva parecia prover a muitos povos antigos a evidência que existia água acima do céu.

(3) Até os corpos celestes são vistos como servidores das necessidades humanas, o que serviu de base para a criação de um calendário.

(4) Uma grande variedade de opiniões escolásticas têm sido expressas sobre este uso do plural na palavra de Deus, único no Genesis. Alguns acham que é o reflexo de um politeísmo mais antigo ( um argumento rejeitado pela maioria dos estudiosos por causa da narrativa insistentemente monoteísta), como um exaltado uso "real" do pronome (mas nenhum outro exemplo é conhecido desta cultura), como o endereçmento aos anjos ( sem terem sido mencionados previamente na estória), ou mesmo--na Idade Média--quando os membros da Trindade conversavam estre si (uma interpretação arrojada totalmente rejeitada pelos Judeus ou a incorporação de uma crença Cristã única). Não existe uma concordância geral quanto a este assunto.

(5) Alguns estudiosos sustentam qeu Deus deve ter pensado daqui tendo uma forma humana; outros argumentam que a semelhança é puramente de natureza espiritual. Feministas contemporâneas leantaram a questão que ambos os sexos estão expressos na imagem de Deus.

(6) A idéia do domínio absoluto sobre uma terra abundantemente produtiva deve ter sido muito apelador para um povo que trabalhava duro para tira o sustento do solo de Israel, presas fáceis aos ataques de animais selvagens. A imagem da terra como um rico jardim deve de fato ter a semelhança de um paraíso perdido. Alguns interpretam esta passagem como uma idealização vegetariana.

(7) Neste ponto o texto original Hebreu chamou Deus de Elohim; mas nas passagens subseqüentes, a Ele é dado o título, agora normalmente traduzido por Yahweh. Por causa deste último nome ser considerado muito sagrado para se revelar nas tradiçvões Judias, vários substitutos foram inventados. Aqui o "Senhor"com inicail maiúscula indicam ocorrências do nome sagrado.

(8) Ao nomear o Tigris e o Euphates como rios que corriam no Eden localiza o Paraíso original em algum lugar na Mesopotâmia, e que é também a região onde os Hebreus investigam sua ancestralidade.

(9) O paradoxo desta profecia não ter sido realizada literalmente tem levado à ingênuas explanações, incluindo a que dominou por séculos na Cristandade: que ao comer da fruta, Adão e Eva caem do estado de divina graça para o estado mortal do pecado.

(10) Interpretrações patriarcais desta história acentuam que a mulher é uma criação secundária, trazida à vida para servir o homem; mas alguns feministas argumentam que os textos acentuam a unidade do dois.

(11) Judeus evitavam a nudez muito mais do que seus vizinhos, mas pareciam ver o sentido da vergonha com uma maldição.

(12) Interpretações mais recentes, ambas Judias e Cristãs, identificam a serpente como Satã, mas esta é uma figura que muitos estudiosos acreditam ter sido introduzida no Judaísmo em uma data comparativamente bem mais tarde.

(13 ) Novamente, o fato da profecia da serpente se torna vberdadeira enquanto a de Deus não, tem levado a muitas especulações. Qualquer que seja a interpretação seguida, culpa e vergonha são os resultados da Queda. O Cristianismo Tradicional deu ao incidente uma interpretação sexual, geralmente argumentando que o erotismo era em si um produto da vergonha, onde os Judeus raramente aceitam este ponto de vista. A doutrina de uma maldição herdada chamada de "pecado original" é também alheia ao pensamento central do Judaísmo, mas é o foco principal do comentário Cristão nesta passagem.

(14) O tipo de fruto não foi especificado. Ele era freqüentemente identificado como um figo no início da Idade Média, mas eventualmente uma palavra de duplo sentido resolveu a questão para os Cristãos: malum em Latim significa "maçã" e também "mal".

(15) Presumivelmente as cobras originalmente tinham pernas como os outros animais, mas as perdeu por causa desta maldição. (

(16) Artista Cristãos fazem muito uso desta passagem para criar imagens da Vrigem Maria esmagando a serpente com seus pés.

Extraído do livro : Tales from the Kojiki, de Genji Shibukawa

Tradução para o Português por Sérgio Pereira Alves

home.gif (8954 bytes)

e-emaildove.gif (4368 bytes)

top.gif (1137 bytes)

Criada em 13 Mai 2001

amapa.gif (1202 bytes) Mapa do Site

Última Atualização em 11 out 2010